REVISÃO DO FIES

A ação de Revisão do FIES, busca conseguir:

a) reduzir a taxa de juros a zero;

b) limitar o valor da parcela a 20% da renda do aluno.

Exemplo:  um aluno que paga R$550,00 de prestação, poderá ter redução de R$262,89 na mensalidade, ou seja,    mais de 50% de redução na mensalidade.  

Isso considerando apenas a redução dos juros à zero.

Mas ainda o valor da mensalidade não deve ultrapassar a 20% da renda do aluno.

Exemplo: um aluno que tem o valor da prestação do FIES de R$700,00, mas trabalha no comércio e recebe um salário de R$1.300,00 por mês, deve ter o valor da parcela limitada a R$260,00 por mês.

Por que isso?

A lei nº 13.530/2017 criou o NOVO FIES. Segundo o conceito do MEC:


 

O novo FIES é um modelo de financiamento estudantil moderno, que divide o programa em diferentes modalidades, possibilitando juros zero a quem mais precisa e uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato. O novo FIES traz melhorias na gestão do fundo, dando sustentabilidade financeira ao programa a fim de garantir a sustentabilidade do programa e viabilizar um acesso mais amplo ao ensino superior.


 

O programa NOVO FIES trouxe benefícios ao aluno, criando uma forma de pagamento mais benéfica. Vejamos o comparativo dos Programas:

teste.png

Portanto o NOVO FIES (criado pela lei nº 13.530/2017) é mais benéfico para o aluno, porquanto a taxa de juros é zero e as prestações correspondem a 20% da renda.


 

Nesse contexto, a norma mais favorável deve ser aplicada. São diversos os fundamentos jurídicos. Além disso, são diversas as situações relacionadas ao FIES em que a justiça tem aplicado a norma mais favorável ao aluno.


 

Afinal é lógica a aplicação da norma mais favorável ao estudante, sobretudo por se tratar a educação de direito fundamental de natureza social, conforme já explicitado pelo Supremo Tribunal Federal:


 

“A educação é um direito fundamental e indisponível dos indivíduos. É dever do Estado propiciar meios que viabilizem o seu exercício. Dever a ele imposto pelo preceito veiculado pelo art. 205 da Constituição do Brasil. A omissão da administração importa afronta à Constituição”. [RE 594.018 AgR, rel. min. Eros Grau, j. 23-6-2009, 2ª T, DJE de 7-8-2009.] AI 658.491 AgR, rel. min. Dias Toffoli, j. 20-3-2012, 1ª T, DJE de 7-5-2012.


 

Ainda, a própria CF garante que é dever do Estado incentivar a educação, visando o pleno desenvolvimento da pessoa:


 

Art. 205 da CF: A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

 Estamos preparados para levar esta ação adiante, quem sabe até chegar ao STF, mas confiamos no resultado benéfico que poderá trazer aos usuários do FIES". 

Quem é Davi Ragel?

Davi Muller Rangel, OAB/RS 105.776, atua na área de DIREITO FIES há 5 anos, já tendo ajudado muitos PROFESSORES e MÉDICOS a obter o abatimento FIES 1%.

DSC_0007.JPG
 

Você se enquadra nos requisitos acima

ou ficou com alguma dúvida?

O tempo médio de espera para ser atendido é de 15 minutos.